Ajor + Reload: como fazer um jornalismo mais diverso

Voltado para o público jovem e conectado, o Canal Reload, em parceria com a Ajor, preparou uma série especial para o Festival 3i 2022 sobre a necessidade da diversidade no jornalismo

O Canal Reload, que “descomplica a notícia” para jovens de 18 a 25 anos nas redes sociais desde 2020, produziu uma série de conteúdos especiais como parte da programação do Festival 3i 2022. Os vídeos foram pensados em parceria com a Associação de Jornalismo Digital (Ajor).

Os conteúdos foram divulgados durante a programação do evento, entre os dias 15 e 25 de março, e esyão na íntegra nos canais de Youtube das duas prganizações. Conheça os temas e assista completos:

Como tratar a pauta indígena:

O primeiro vídeo traz a apresentadora e ativista Samela Sateré-Mawé explicando o que fazer e o que evitar quando jornalistas têm em mãos uma pauta sobre as temáticas indígenas.

Como identificar e combater o assédio no jornalismo:

Larissa Venturini traz alguns depoimentos anônimos de mulheres que conversaram com nossa equipe e relataram suas experiências.Onde estão as pessoas pretas no jornalismo?

Chega de ouvir os mesmos! Que tal diversificar suas fontes?

Roberta Camargo lembra que pessoas negras não devem ser ouvidas e vistas apenas quando o assunto é racismo ou Dia da Consciência Negra. E que a falta de pretas, pretes e pretos em redações também influencia na falta de fontes da mesma cor.

Inclusão e anticapacitismo no jornalismo

No último vídeo do especial, recebemos o Deives Picáz para refletir sobre a (falta de) representatividade e produção de conteúdos para pessoas com deficiência (PcDs) na mídia e nas redações jornalísticas.

Skip to content